REINVENÇÃO DA INTIMIDADE - POLÍTICAS DO SOFRIMENTO COTIDIANO

REINVENÇÃO DA INTIMIDADE - POLÍTICAS DO SOFRIMENTO COTIDIANO

Código: 9788592886462

Categorias: Lacan / Lacan

Marca: Editora UBU


Autor: Christian Dunker

Editora: UBU

Ano: 2017

Número de páginas: 320

Categoria Principal: Lacan



R$59,00

até 2x de R$29,50 sem juros

3 unidades em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

Segundo o autor, Reinvenção da intimidade – políticas do sofrimento cotidiano é "uma investigação sobre as formas de amor, sobre suas interveniências políticas, sobre a possibilidade de ficar junto e separado". Esse é o pano de fundo para um cuidadoso trabalho de reflexão psicanalítica sobre a experiência de sofrimento própria da vida contemporânea. Solidão, melancolia, luto, ciúme, paixão, ódio, ressentimento, depressão, compaixão, vergonha são alguns desses sofrimentos que se expressam através de figuras como mães neuróticas, jovens revolucionários, casais, ex-casais, amantes, pais separados, nem-nens, esquerdistas, neoliberais – enfim, papéis da subjetividade nos quais ora nos reconhecemos, ora reconhecemos outros à nossa volta.
Com uma história de 26 anos de clínica e reflexão, Christian Dunker examina de que maneira nossos sintomas psíquicos se relacionam com processos de individualização próprios da vida contemporânea. O texto evita o jargão de especialistas, articulando conceitos da psicanálise de forma clara e capaz de sensibilizar o público geral, sem abrir mão da precisão conceitual. Casos, situações e regularidades clínicas reconstituem o caleidoscópio incerto que define as relações humanas contemporâneas.
O argumento do autor tem como premissa implícita a ideia de que o sofrimento, embora vivido no sujeito, requer e propaga uma política. Ou seja, a forma como contamos, justificamos e partilhamos nosso sofrimento está submetida a uma dinâmica de poder. O poder é gerado por quem pode reconhecer o sofrimento e de quem esperamos legitimidade, dignidade ou atenção – seja esse alguém o Estado, um médico, um padre ou policial, ou ainda aqueles com quem compartilhamos a vida cotidiana, e mais ainda aqueles que amamos. As políticas do sofrimento cotidiano incluem, portanto, nossas escolhas diante desses agentes de poder, as maneiras de transformar nosso entorno ou a nós mesmos, as possibilidades de externalizar ou internalizar, construir ou desconstruir afetos, entre outros.
Ao longo do livro, Dunker dá forma a essas ideias abstratas por meio do que há de mais cotidiano em nossa contemporaneidade: tendências à hipersocialização, disposição a ficar permanentemente conectado, impotência para construir situações de real solidão ou intimidade.

A busca da bicicleta perdida, 7

Introdução, 11

 

Solidão: Modos de usar

1. Solidão e solitude, 19

2. Preciso de um tempo só para mim, 38

3. A melancolia de Ozymandias, 42

4. Começar e terminar, 45

5. Sobre a morte e o morrer, 48

 

Afetos compartilhados

6. A traição e seus horrores, 57

7. O ciúme e as formas paranoicas do amor, 62

8. A função transformativa do ódio, 71

9. Conformação da intimidade, 77

10. Desmascarar as imposturas do amor, 87

11. O amor pelos animais e seus limites, 93

12. A vergonha como denúncia da fantasia, 95

 

Juntos e separados

13. Fundamentalismo conjugal, 102

14. O casamento como perversão consentida, 107

15. O verdadeiro amor faz exceção à lei, 109

16. O dinheiro do casal, 112

17. A mulher telepata e o homem das cavernas, 114

 

A criança que nos une e nos separa

18. A arte de imbecilizar crianças, 117

19. Loucura materna, 120

20. Oprimindo mulheres e desautorizando mães, 122

21. O dever de afeto e o direito de verdade, 129

22. A cor e a forma do cuidado, 132

23. Síndrome da alienação parental, 135

24. Intoxicação digital infantil, 138

 

Sofrendo do outro

25. A geografia imaginária da segregação real, 148

26. Cercas, muros e silêncios, 155

27. Paranoia sistêmica, 158

28. Somos todos vândalos?, 161

29. Cuidar ou controlar?, 172

30. A felicidade como fator político, 182

31. A alma revolucionária, 186

 

Sofrendo com o outro

32. O sofrimento entre a verdade e o real, 195

33. A paixão prognóstica e a invenção de novos diagnósticos, 203

34. A paixão diagnóstica, 205

35. Neurose em estrutura de ficção, 207

36. Depressão do urso polar, 220

37. Perversão ordinária, 229

38. Síndrome pós-natalina, 236

39. Que fim levaram os maníacos?, 239

 

Patologias do individualismo à brasileira

40. Novas formas de sofrer no Brasil da retomada, 242

41. O paradoxo moral do batalhador brasileiro, 249

42. A cultura da indiferença, 251

43. Crimes da palavra e cultura da denúncia, 254

44. A querela do cosumo, 260

45. Solidariedade sem transcendência?, 263

46. Narcisismo digital, 265

 

Políticas de tratamento

47. Doença mental na política, 277

48. O neoliberalismo e seus normalopatas, 284

49. Reinvenção da intimidade, 293

 

Índice remissivo, 303

Fontes dos textos, 315



Forma de pagamento

Forma de pagamento