A SUPERVISÃO COMO INTERROGANTE DA PRÁXIS ANALÍTICA-DESEJO DE ANALISTA E A TRANSMISSÃO DA PSICANÁLISE

A SUPERVISÃO COMO INTERROGANTE DA PRÁXIS ANALÍTICA-DESEJO DE ANALISTA E A TRANSMISSÃO DA PSICANÁLISE

Código: 9788571374164 (CO)

Categoria: Clínica de Adultos

Marca: Escuta


Autor: Emília Estivalet Broide

Editora: Escuta

Coleção: Margens: Psicanálise, Cultura e Política

Ano: 

Número de páginas: 

Categoria Principal: Clínica de Adultos



R$41,17

até 2x de R$20,59 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

O dispositivo de supervisão coloca em questão que, no lugar de encontrar a verdade que finalmente responderia a pergunta do que fazer em um caso, coloca em primeiro plano o não saber. Dessa forma, a política da falta-a-ser, intrínseca à posição do analista, é assumida pelo supervisor e sustenta a ética da sua práxis. Nessa perspectiva, o supervisor dirige a supervisão e não o supervisionando; portanto, o supervisor recusa o poder da sugestão implicado na identificação imaginária em prol do manejo da transferência e seus tempos, a partir do desejo que o orienta.

Prefácio, Miriam Debieux-Rosa, 9

Apresentação, Christian Ingo Lenz Dunker, 13

Introdução, 17

 

1. Histórias da psicanálise: transferência e transmissão, 31

Transmissão, 32

Os primórdios da transmissão e as marcas de certa informalidade, 32

Início de institucionalização, 35

Institucionalização vinculada à formação de um analista-padrão, 38

Cisões e expansão da psicanálise, 42

Uma quinta geração, 44

Transferência, 47

Freud supervisor de Breuer?, 48

O caso Anna O. e a interrogação freudiana, 52

Sócrates e O banquete: "Amor é dar o que não se tem", 54

 

2. As supervisões, 59

A supervisão e o modelo socrático, 62

A supervisão repõe em jogo o pior, 65

A supervisão e a transmissão: um convite à implicação do sujeito, 69

A supervisão como borda: limiares e fronteiras, 74

A supervisão e a atemporalidade e temporalidades plurais, 77

 

3. A pesquisa em psicanálise e os procedimentos metodológicos, 85

A pesquisa em psicanálise: investigação e clínica, 85

A pesquisa em psicanálise: do grão de areia à pérola, 89

A pesquisa em psicanálise: o caso clínico e a transmissão, 91

A pesquisa em psicanálise: método, 95

 

4. Da extensão da intensão na escuta analítica de supervisão, 97

Helena e Diego: a vida à flor da pele, 102

A marca do narrador, 108

Posição do supervisor, 110

Extrair do caso sua lógica, 113

Caso Rafael, 115

Instante de ver, 116

Tempo de compreender, 119

Momento de concluir, 123

A supervisão, o caso e a cidade, 126

 

Considerações finais, 129

O que se ensina em uma supervisão, 131

Responsabilidade de supervisor, 133

 

Referências, 137



Forma de pagamento

Forma de pagamento