KANT A FREUD: O IMPERATIVO CATEGÓRICO E O SUPEREGO

KANT A FREUD: O IMPERATIVO CATEGÓRICO E O SUPEREGO


Autor: LEYSERÉE ADRIENE FRITSCH XAVIER

Editora: JURUÁ

Ano: 2009

Número de páginas: 246

Categoria principal: Teoria psicanalítica



R$59,90

até 2x de R$29,95 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

O imperativo categórico como expressão de uma lei moral objetiva e incondicionada foi formulado por Immanuel Kant no contexto de sua filosofia prática. Mais tarde, Sigmund Freud fez referência em sua obra ao imperativo kantiano, relacionando-o ao conceito psicanalítico de superego que então nascia, inserido na estrutura do aparelho psíquico junto ao ego e ao id. Porém, o tratamento dado ao conceito filosófico pela psicanálise destaca um aspecto destrutivo e sádico da lei, aspecto esse que na filosofia prática se enquadra no âmbito da heteronomia, distanciando-se, desta forma, da lei moral kantiana.

INTRODUÇÃO - O Imperativo Categórico e o Superego..................... 23

I CAPÍTULO - Filosofia Prática de Immanuel Kant - O Imperativo Categórico..................................................................... 29

1.1 A formulação da lei como imperativo categórico......................... 31
Máximas e leis na literatura secundária........................................ 46

1.2 O aspecto formal na consideração do imperativo categórico.................................................................... 64

O conceito de forma na literatura secundária............................... 66

1.3 O dever como necessitação........................................................... 77

O dever sob a perspectiva de Otfried Hõffe ................................. 83

1.4 O sentimento de respeito e o Triebfeder....................................... 85

A leitura do sentimento de respeito na literatura secundária.............. 91

1.5 O interesse moral........................................................................ 105

O conceito de interesse do ponto de vista de Paton.................... 106

1.6 A autonomia caminha ao lado da liberdade................................ 109

A autonomia na perspectiva de Alquié -a causalidade pela liberdade ....................................................... 111

1.7 Implicações decorrentes da Dialética da razão prática pura.... 113

A perspectiva dos comentadores................................................. 115

1.8 Conclusões do Primeiro Capítulo ............................................... 121


II CAPITULO - Conceito de Superego em Sigmund Freud................. 127

1.1 Os antecedentes do superego ..................................................... 130

1.2 A formulação do superego como lei imperativa......................... 135

1.3 O superego como preço a pagar pelo ingresso do homem na cultura................................................................... 145

1.4 Comentadores do conceito de superego...................................... 163

1.5 Conclusões do Segundo Capítulo .............................................. 187


III CAPÍTULO - O Imperativo Categórico e o Superego na Literatura Secundária.................................................................... 191

Conclusões do Terceiro Capítulo....................................................... 212


IV CAPÍTULO - Análises e Conclusões..............................................215


REFERÊNCIAS................................................................................ ....233


ÍNDICE ALFABÉTICO........................................................................237



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento