O SENTIDO E O LUGAR DA INTERPRETAÇÃO NA CLÍNICA FREUDIANA

O SENTIDO E O LUGAR DA INTERPRETAÇÃO NA CLÍNICA FREUDIANA

Código: 9788576360797 (CO)

Marca: Via Lettera


CAPA COM APARÊNCIA DE ALGUMAS MANCHAS

Autor: Maria Vilela Pinto Nakasu
Editora: Via Lettera
Ano: 2008
Número de páginas: 192
Categoria Principal: Freud


R$43,00

até 2x de R$21,50 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

Trata-se de um trabalho de interesse tanto para aqueles que abordam a psicanálise desde uma perspectiva acadêmica, como objeto de uma investigação epistemológica ou de análise conceitual, quanto para os psicanalistas ou para os profissionais das diversas áreas - saúde mental, estudos literários, ciências sociais, entre outras - para as quais a psicanálise se constitui como referência teórica.

PrefácioI Richard Theisen Simanke 13
Apresentação  17
Introdução   19

Capítulo 1
O surgimento da interpretação nos primórdios do método freudiano
1.1 As influências de Charcot e da Escola de Nancy 25
1.2 Ométodo catártico como terapia causal 32
1·3 A análise psíquica e o trabalho com as resistências 34
1.4 A resistência nos casos de Lucy e Katharina 39
1·5 Considerações finais 43


Capítulo 2
O modelode interpretação dos sonhos: suas regras e fundamentos
2.1 Sobre as mudanças que as recordações encobridoras acarretam no âmbito da técnica 45
2.2 Uma nova abordagem da interpretação dos sonhos 48
2·3 Análise do sonho da injeção de Irma 51
2·4 Otrabalho do sonho faz, a interpretação desfaz 56
2·5 Considerações finais 61


Capítulo 3
Interpretando Dora: a técnica freudiana aplicada à clínica psicanalítica
3-1 Notas sobre as principais transformações técnicas operadas por Freud entre Estudos sobre a histeria e o caso Dora 67
3-2 Algumas ilustrações de como Freud interpreta os sintomas de Dora 74
3-3 A interpretação do primeiro sonho 80
3-4 A interpretação do segundo sonho  84
3-5 Umpequeno comentário sobre a interpretação 87
3-6 A transferência 89
3-7 Considerações finais 91
Anexo:Ocaso do pequeno Hans: a interpretação das fantasias edipianas 92


Capítulo 4
Ainterpretação na análise do Homem dos ratos
4·1 Homemdos ratos: o relato do castigo 99
4·2 Ensinandoteoria nas interpretações 103
4-3 Osimpulsos e obsessões: suas construções e interpretações 107
4-4 Atransferência e a supre ssão de alguns atos obsessivos 109
4·5 Ossonhos e a solução do delírio dos ratos 113
4·6 Considerações finais 117

 

Capítulo 5
A interpretação nos trabalhos sobre técnica: suas principais transformações e relações com a clínica freudiana
5.1. Os trabalhos sobre técnica: considerações gerais 123
5.2 O que há de diferente na teoria da técnica? 125
5.3 Uma palavra sobre a dinâmica da transferência 128
5.4 O que faz, afinal, o psicanalista? 131
5.5 Perlaboração: a ab-reação das resistências 135
5.6 Conselhos técnicos da psicanálise 138
5.7 O preceito sobre o qual todas as regras se apóiam 145
5.8 Considerações finais 146


Capítulo 6
A técnica freudiana no caso do Homem dos lobos
6.1. O contexto geral 149
6.2 As metas do tratamento e a cena de sedução 150
6.3 O sonho dos lobos e a cena primária 156
6-4 Interpretação e construção 160
6.5 Fantasias originárias: a questão das origens 164
6.6 A transferência 165
6.7 Considerações finais 167


Capítulo 7
A interpretação e seus limites no final da obra de Freud
7.1 O caso de homossexualidade feminina 169
7.2 Análise terminável e interminável: uma apreciação sobre os limites da técnica 172
7.3 As mudanças teóricas da década de 1920 176
7-4 Alteração do ego, reação terapêutica negativa e complexo de castração: perigos da análise180
7.5 Considerações finais  185
Referências bibliográficas 189



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento