POR ACASO - O HUMOR NA CLÍNICA PSICANALÍTICA

POR ACASO - O HUMOR NA CLÍNICA PSICANALÍTICA

Código: 9788586011429

Categoria: Clínica de Adultos

Marca: Contra Capa


CAPA DO LIVRO LEVEMENTE SUJA E AS FOLHAS LEVEMENTE AMARELADAS - RECEBEMOS DESSA FORMA DA EDITORA

Autor: AIDA UNGIER
Editora: CONTRA CAPA
Ano: 2001
Coleção: PRIMEIRAS LEITURAS - PSICANÁLISE; 4
Número de páginas: 95
Categoria Principal: Clínica de Adultos


R$79,00

até 2x de R$39,50 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

CAPA DO LIVRO LEVEMENTE SUJA E AS FOLHAS LEVEMENTE AMARELADAS - RECEBEMOS DESSA FORMA DA EDITORA

Parece ser universal a sustentação psíquica trazida pelos momentos em que nossas próprias palavras ressignificam situações de angústia ou desamparo. Eis que, diante do mundo fio da navalha, surge, de maneira inaudita, o vigor de uma fala prenhe de novos sentidos.

Muitas vezes o humor é um dos protagonistas desses acasos. Manifesto, logo retraduz a insistência pulsional que alimenta o que ainda não fui enunciado. Dito, refaz um percurso que, à maneira de uma pequena obra de arte, sustenta o sujeito no discurso..

Contrariamente ao senso comum, Aida Ungier defende que o objetivo do dito espirituoso não é fazer rir. O humor não surge em nome do riso, e seu maior mérito consiste em permitir ao sujeito retirar a alegria de viver de seus próprios infortúnios, ou seja, o que ameaça o sujeito é a própria matéria-prima da reviravolta que ele imprime aos acasos que se lhe apresentam.

Além disso, a autora mostra que não se deve encerrar o estudo do humor na clínica psicanalítica em definições estritas, mas sim permitir, à luz de sua investigação. o surgimento de novas possibilidades de resposta para os impasses encontrados tanto pelo psicanalista quanto por aqueles que o procuram.

Por acaso resulta, portanto, de algo que não se pode prever e que só recebe seues sentidos por meio da permanente atenção uniformemente suspensa que o analista deve a sua prática, contraparte necessária da associação livre à qual o sujeito deve aceder.

CAPA DO LIVRO LEVEMENTE SUJA E AS FOLHAS LEVEMENTE AMARELADAS - RECEBEMOS DESSA FORMA DA EDITORA

Introdução; 11


Capítulo 1; 17

O aleatório na razão. A polissemia do humor. Freud e o riso. Os chistes. O humor em 1905: o avesso do sintoma. O humor em 1927: a afabilidade do superou.


Capítulo 2; 31

Freud e a metapsicologia do humor. Abre-te verbo! Em nome de Eros. A sombra de Tânatos. Humor e sublimação. A descoberta do sublime. Instaura-se a ordem: o supereu no humor. Ordem e rebeldia.


Capítulo 3; 53

Contribuição lacaniana para pensar o humor. A afirmação do mal. A estratégia da criação. Sob o peso da lei. De Édipo a Antígona.


Capítulo 4; 69

O riso exterminador. Um presente dos gregos. A aposta no devir. O terrorismo na representação. A psicanálise e o trágico.


Conclusão; 83


Referências bibliográficas; 92



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento