CRIANÇAS NA PSICANÁLISE - CLÍNICA, INSTITUIÇÃO, LAÇO SOCIAL

CRIANÇAS NA PSICANÁLISE - CLÍNICA, INSTITUIÇÃO, LAÇO SOCIAL

Código: 9788585717346 (CO)


Autor: Angela Vorcaro

Editora: Companhia de Freud

Ano: 1999

Número de páginas: 208

Categoria Principal: Clínica da Infância e da Adolescência



R$50,00

até 2x de R$25,00 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

A observação de crianças produz mal entendidos, como alertou Freud, pois condena as manifestações da criança a serem tomadas a partir do ideal da transição comum à codificação da clínica psiquiátrica ou do ideal da tradição, deriva do sentido, típica da compreensão psicológica. Nos dois casos, longe de assumir a dignidade de enigma, suprime-se o que a confiança confina de real. Enfim, na observação descritiva ou tradutiva, a criança é dado natural, é transparência.

APRESENTAÇÃO: A clínica com crianças e a formação do analista........... 9

I - DA HOLÓFRASE E SEUS DESTINOS............................................. 19
1. Uma construção necessária .........................................................20
2. Alienação e Separação .................................................................23
3. A alienação, a separação... e a holófrase .......................................26
3.1. Sobre a noção de holófrase ..................................................28
3.2. A alienação, a separação... e a série ......................................34
3.2.1. O que se passa no Autismo? ....................................34
3.2.2. O que se passa na Psicose? .......................................36
3.3.3. O que se passa na Debilidade? .................................38
3.3.4. O que se passa nos Fenômenos Psicossomáticos? .....39
3.3. A alienação, a separação... e a clínica ...................................41

II - A TRANSFERÊNCIA NA CLÍNICA COM CRIANÇAS ...........59
1. Sobre a estruturação do sujeito .................................................... 59
2. As manifestações da criança .........................................................66
2.1. Incidências do fantasma e do sintoma na criança ..................67
2.2. O discurso parental: uma das incidências da transferência.....72
2.3. Rumo à interpretação: a tensão entre a leitura prévia que a
interpretação requer e a interpretação como condição para
a leitura ...............................................................................75
3. De onde o analista interpreta? As perspectivas da interpretação ....78
3.1. Qual o lugar da interpretação na clínica com crianças?......... 82
3.2. Quais as ressonâncias da interpretação? ................................84
3.3. A interpretação visa o encontro com a inconsistência do
Outro? ...............................................................................86
3.4. A interpretação é o lugar do Outro onde se decide o
valor de um dito, onde se verifica o ato analítico?................ 88
3.5. A interpretação visa a subtração do gozo? ............................89
4. A direção do tratamento..............................................................92
5. Direção do tratamento na clínica do autismo e das psicoses:
a estruturação do sujeito ..............................................................93
6. A transferência na clínica do autismo........................................... 97

III - SOBRE A CLÍNICA INTERDISCIPLINAR.............................. 105
1. Uma clínica interdisciplinar....................................................... 105
2. Psicanálise e prática interdisciplinar............................................ 110

IV - LAÇOS À DERIVA: RELAÇÕES INTER-SETORIAIS ENTRE A.
PSICOLOGIA E A FONOAUDIOLOGIA.................................. 117
1. O caso ............................................................................. 118
2. Algumas demarcações................................................................ 122
3. O apagamento do traço ............................................................. 123
4. Uma outra via ........................................................................... 125

V - DA LÍNGUA E DE ADOLESCENTES NUMA
ESCOLA DE SURDOS................................................................ 129
1. Sobre a escola e seus alunos ....................................................... 130
1.1. O método escolar.............................................................. 131
1.2. Particularidades dos alunos ................................................ 135
2. Os limites do gesto e a língua de sinais ...................................... 140
3. A infância na adolescência e sua suplência.................................. 144

VI - PRÁTICAS CLÍNICAS E ESCOLARES:
O DISCURSO PSICOPEDAGÓGICO....................................... 153
1. Das modalizações da psicopedagogia: lugares do sujeito,
da aprendizagem e da psicopedagogia ........................................ 160
1.1. Causalidade e tratamento das dificuldades de aprendizagem.... 161
1.2. A avaliação psicopedagógica .............................................. 163
1.3. O dado psicopedagógico ................................................... 170
1.4. A demanda de terapia psicopedagógica .............................. 172
1.5- A supervisão ...................................................................... 174
1.6. Piaget e Freud: desenvolvimento cognitivo e constituição
subjetiva............................................................................ 175
2. Posição do psicopedagogo na relação com a criança ................. 183
3. Para concluir............................................................................ 195
Referências Bibliográficas......................................................................... 201
 



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento