DIÁLOGOS FAMILIARES - SOBRE A LOUCURA

DIÁLOGOS FAMILIARES - SOBRE A LOUCURA

Código: 9788575851401

Marca: Vetor


Autor: Luiz Celso C. de Toledo
Editora: Vetor
Ano: 2006
Número de páginas: 108
Categoria principal: Família e Casal - Teoria e Clínica

leia mais

R$36,00

até 8x de R$5,13

2 unidades em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

Nos últimos anos, a participação dos familiares dos pacientes nos tratamentos em Saúde Mental tem sido cada vez mais requisitada. Nas terapias familiares, nos grupos de auxílio mútuo ou em associações que lutam por direitos e pela melhoria do sistema de saúde, eles têm sido decisivos não só nos tratamentos, mas também no aprimoramento das instituições de saúde e das leis que regulam o setor. Mas o que pensam sobre a loucura e a doença? Que lugares atribuem a si mesmos nos tratamentos e na etiologia? Este livro surgiu do interesse em ouvir o que dizem os familiares de pacientes de um hospital-dia para saber um pouco mais sobre essas pessoas que são, afinal, fundamentais para qualquer iniciativa terapêutica no campo da Saúde Mental.

Sumário

Prefácio 11
Introdução 23

Capítulo I - Um pouco de história
1. As famílias e a psiquiatria 25
2. As famílias na psicanálise 28
3. O surgimento dos hospitais-dia 30
4. As Terapias Familiares 33

Capítulo II - Os caminhos da análise
1. As formações discursivas 39
2. Maingueneau e a polifonia 43
3. As instituições 46
4. O sujeito 47
5. O hospital-dia A Casa 50
6. Organizando as entrevistas 51
7. Os familiares 52
8. Sobre a ética 54

Capítulo III - As vozes familiares
1. Loucura 55
2. Doentes 58
3. Causas 61
4. Contágio 68
5. Dificuldades em aceitar 69
6. Trabalho 73
7. Estratégias 76

Capítulo IV - Algumas respostas às nossas questões
1. Como os familiares descrevem a loucura? 81
2. Como são as relações dos familiares
com os agentes das instituições de tratamento? 83
3. Como discorrem sobre seus parentes
em tratamento? 84
4. Qual o lugar que as famílias se atribuem
ao discorrerem sobre a loucura? 85

Capítulo V- De volta à história
1. A transmissão da doença 89
2. O trabalho como imperativo 91
3. Os parentes doentes 93
4. A via régia 94
5. A Psicoeducação e a vontade de verdade 98
6. Uma última consideração sobre o trabalho
com famílias 102



Forma de pagamento

Forma de pagamento