O INFERNO DO DEVER - O DISCURSO DO OBSESSIVO

O INFERNO DO DEVER - O DISCURSO DO OBSESSIVO


Autor: Denise Lachaud

Tradução: Sandra Regina Felgueiras

Editora: Companhia de Freud

Ano: 2007

Número de páginas: 263

Categoria Principal: Psicopatologia



R$54,00

até 2x de R$27,00 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

Descobrindo os labirintos do que chama de neurose de coerção, fascinado pela complexidade dos processos de pensamento que ela põe em jogo, Freud rende homenagem à inteligência de seus dois pacientes, aos quais a psicanálise deve tanto, o Homem dos ratos e o Homem dos lobos. Embora faça dessa neurose o dialeto cuja língua materna seria a histeria, ele no entanto a apresenta como o campo privilegiado da investigação analítica futura. Expõe as fantasias de onipotência, a compulsão, a repetição e os mecanismos de defesa tão particulares dessa estrutura, mas a motivação última dela lhe resta enigmática, porque ele não concebe que a mãe possa odiar sua progenitura. Contrariamente às idéias recebidas, o obsessivo não visa à morte do Outro, mas à sua, tanto mais porque ele é um outro - objeto e não sujeito - designado para ocupar para sua mãe o lugar de um ideal instrumento a manipular, do falo que ele não quer ser. De onde o impossível de seu desejo e seu encarniçamento que não é masoquista, mas auto-sádico. A ambivalência da mãe com relação a seu filho, o relativo descrédito no qual ela mantém o pai, tal é a chave de abóbada desse equilíbrio infernal que, para que o sujeito se assegure sempre de sua própria reserva de poder, obriga-o a erigir barreiras contra uma mãe exigente que primeiro o adorou e depois o humilhou. Sem ser agressivo, mas com todas as defesas prontas, a que ele se recusa? A ser objeto do gozo da mãe. A sombra de um pai, considerado como incapaz de satisfazê-la, protege o obsessivo para que ele nunca caia na psicose: ninguém mais do que ele se prende à letra, à pequena diferença, testemunhando a existência da lei. Pela reflexão sobre seus próprios casos e graças aos conceitos herdados de Lacan - o Outro, o gozo, o impossível, o esvaecimento do sujeito -, Denise Lachaud reorienta com clareza o olhar para a clínica freudiana dessa neurose, numa obra que conclui sobre essa questão.

INTRODUÇÃO .. 13

Capítulo 1
Freud e seu ensino 19

Capítulo 2
Hoje 31

PRlMEIRA PARTE:
Função materna na disposição à neurose obsessiva 35

Capítulo 3
A mãe, agente das modalidades da disposição 37

Capítulo 4
Binários objetais e pseudotriangulação .43

Capítulo 5
Encontro de uma ligação perigosa 67

SEGUNDA PARTE:
Dos sintomas às fantasias 87

Capítulo 6
Recalque e sintoma na neurose obsessiva 89

Capítulo 7
Causalidades 109

Capítulo 8
A fantasia, via para a realização do desejo 139

TERCEIRA PARTE:
O pai, o dever e o analista 199

Capítulo 9
Pelo amor do pai 201

Capítulo 10
O inferno do dever-não 227

Capítulo 11
Para não concluir 237

Fontes 249



Forma de pagamento

Forma de pagamento