PSICOLOGIA DAS MASSAS E ANÁLISE DO EU - SOLIDÃO E MULTIDÃO

PSICOLOGIA DAS MASSAS E ANÁLISE DO EU - SOLIDÃO E MULTIDÃO


Autor: Ricardo Goldenberg

Editora: Civilização Brasileira

Coleção: Para Ler Freud

Ano: 2014

Número de páginas: 194

Categoria Principal: Freud



R$27,90

até 6x de R$5,15

2 unidades em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

TUDO O QUE SENTIMOS E PENSAMOS QUANDO OS OUTROS NÃO ESTÃO OLHANDO.

Os fenômenos de massa são o grande tema debatido neste livro, bem como a sua relação com tudo o que sentimos e pensamos quando os outros não estão olhando: a inveja doída daquele que sempre tem algo que nos falta e o ódio ao diferente.

Goldenberg, apoiado nas teses de Gustave Le Bon analisadas por Freud em Psicanálise das massas e análise do eu, estende suas reflexões para as relações típicas do homem contemporâneo. Para isso, utiliza o grande mediador dos discursos da atualidade: a cultura de massas. Em seu protesto veemente contra a onipresença do politicamente correto, o autor não poupa referências à música pop, à literatura, aos filmes, às séries de TV e até mesmo os comerciais.

Apresentação da coleção 9

Prefácio 13

Introdução 21

A propósito de um título 35

Anatomia de um livro de Freud 41

Capítulo primeiro
Onde se questiona a oposição clássica entre individual e coletivo. 41

Capítulo segundo
Onde se contesta a tese de um instinto gregário, um herd instinct. 45

Capítulo terceiro
Onde se trata de massas organizadas. 47

Capítulo quarto
Onde se discutem as relações entre sugestão e uma curiosa substância
denominada libido (e começam a ser elucidados fenômenos como o de A onda). 49

Capítulo quinto
Onde se analisa a estrutura de massas artificiais específicas - nomeadamente,
a Igreja e o Exército -, com o intuito de revelar como a teoria edípica serve
para demonstrar que o chefe é um sub-rogado do pai. 57

Capítulo sexto
Onde consta a observação sobre a recém-criada URSS, já comentada.
E onde há uma não menos deliciosa nota a propósito da ambivalência, ou seja, do amor e do ódio experimentados em relação à mesma pessoa. 61

Capítulo sétimo
Onde finalmente se revela a que veio semelhante estudo do comportamento
das multidões: fincar os fundamentos de uma teoria da identificação.
E onde podemos ler a bela fórmula da melancolia: a sombra do objeto cai sobre o eu. 67

Capítulo oitavo
Onde se avança mais um passo na teoria do amor, comparando o enamoramento com o estado de influência conhecido como hipnose. 75

Capítulo nono
Onde se discute e se rebate a hipótese de um instinto gregário, uma gregariousness inata. E onde se explica o porquê da alegria geral com a Xuxa sendo tratada como uma (cidadã) qualquer. 78

Capítulo décimo
Onde se fundamenta a tese, algo mítica consta a observação sobre a (ainda que o mito seja de um cientista, Darwin), de que a massa seria a versão atualizada de uma suposta horda primordial, e se conclui A psicologia da massa é a mais antiga psicologia do ser humano. 84

Capítulo décimo primeiro
O derradeiro. Um grau no interior do eu. 87

Apêndice
Onde Freud se sente obrigado a se aprofundar em determinados conceitos em benefício do leitor. 99
Olha eu! 107
Triste o saber que não beneficia o sábio 119

Anexos 141
Um passeio pelo Seminário 141
1964: Ano de polemizar com Jean-Paul Sartre, jamais mencionado pelo nome. 144
1967: Ano dedicado a conjecturar uma lógica da fantasia. 156
Em tempo: dançando nas ruas. 159

Referências bibliográficas 181

Cronologia de Sigmund Freud 187

Outros títulos da coleção Para Ler Freud 193



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento