PSICOLOGIA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO - UMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR

PSICOLOGIA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO - UMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR

Código: 9788502050723

Marca: Saraiva


Autor: Maria Aparecida Ferreira de Aguiar

Editora: Saraiva

Ano: 2005

Número de páginas: 423

Categoria Principal: Psicologia Organizacional e do Trabalho



R$137,00

até 2x de R$68,50 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

Psicologia Aplicada à Administração - Uma Abordagem Interdisciplinar, de Maria Aparecida Ferreira de Aguiar, tem como proposta repensar a organização a partir da psicologia, resgatando a pessoa humana e sua capacidade de vir a ser livre, de ser sujeito num mundo onde predominam as regras, as normas e as coerções, especialmente as psicológicas. A autora desenvolveu uma reflexão crítica, apoiando-se na Teoria Crítica e na Ética Discursiva, de Jurgen Habermas, e na Teoria do Desenvolvimento do Pensamento, de Jean Piaget.
São abordados temas como:
· Globalização: Dimensão Psicossociológica e Questão Ética
· A busca da compreensão da realidade complexa
· A Questão Ética nas Organizações
· Administração como ciência social
· Psicologia como ciência aplicada à administração
· Psicodinâmica do trabalho
· Condicionamento do comportamento humano nas organizações
· Principais teorias psicológicas e sua aplicação ao contexto organizacional
Publicada pela Saraiva, a obra traz, ao final de cada capítulo, resumos, termos e conceitos importantes, aplicação, questões e referências bibliográficas.

1. Globalização: Dimensão Psicossociológica e Questão Ética 1
Dimensão econômica 3
Dimensão ecológica 4
Dimensão técnica 4
Tecnologia e controvérsias 4
Tecnologia e conceito de espaço 5
Tecnologia da informação e reflexividade intensiva 6
Reflexividade intensiva e ação inconsciente 6
Conhecimento científico disponibilizado e suas distorções 7
Exclusão social 8
Conseqüências do processo de globalização 8
Riscos e incertezas 8
Conflitos sociais 9
Entendendo a modernização 9
Modernização simples 9
Sociedade de risco e modernização reflexiva 9
Modernização simples e modernização reflexiva IO
Teoria da modernidade reflexiva 11
Retomando a modernização 12
A segunda modernidade 12
Processo de destradicionalização 12
Política de vida 13
Política gerativa 13
Reflexões e considerações 13
Ser inteligente 13
Responsabilidade e interdependência 14
Solidariedade 15
Solidariedade econômica 15
Solidariedade e exclusão social 15
Solidariedade, autonomia e interdependência 16
Resumo 17
Termos e conceitos importantes 18
Questões 19
Aplicação 20
Referências bibliográficas 20

2. Buscando um Novo Paradigma de Pensamento:
O Pensamento Complexo 21
Componentes do sistema de representação mental 23
Paradigma 24
Paradigma e a forma de pensar 24
Paradigma da era moderna 25
O contexto e nossos esquemas pessoais 25
Os objetivos e as intenções 26
O pensamento simples 26
Princípios do pensamento simples: patologias do saber. 27
Conjunção do uno e do múltiplo 28
Redução 29
Características do pensamento simples 29
Contradições do pensamento simples: a ordem e a desordem 30
A autonomia humana 31
Os indivíduos também se autoproduzem 31
As forças da dependência humana e a capacidade de ter liberdade 31
Autonomia e sujeito 32
Organizações e auto produção 32
A organização do conhecimento como fator de mudança de paradigma 33
Complexidade 34
Complexidade e suas formas 35
Princípios que ajudam a pensar a complexidade 36
As etapas da complexidade 38
Sistema e complexidade 38
Razão 39
Racionalidade 39
Racionalização 4°
As diferenças entre racionalização e racionalidade 40
A dúvida e a razão 4I
Paradigma de pensamento e o desafio da complexidade 4I
Resumo 42
Termos e conceitos importantes 46
Questões 47
Aplicação 47
Referências bibliográficas 48

3.A Questão Ética nas Organizações: A Ética Discursiva
de Habermas 49
Teoria da ação comunicativa 5I
A Teoria da Ação Comunicativa e a linguagem 51
Mundo vivido e ação comunicativa 52
Processo argumentativo: discurso 53
A ética discursiva de Jürgen Habermas 55
A Ética Discursiva e seus pressupostos essenciais 55
Ética Discursiva: universalização e comunicação 56
Ética Discursiva e integridade do indivíduo 56
Condições para a Ética Discursiva 57
Descentramento 57
Ética Discursiva e a neutralidade em Kant e Durkheim 58
Ética Discursiva e natureza humana 59
Condições essenciais da Ética Discursiva como processo de
aprendizagem 59
Ética Discursiva universal e dialógica 6I
Kant e a razão prática 62
Sistema de fins 64
Durkheim e a moralidade 66
Julgamentos morais: Jean Piaget 69
Os fundamentos psicológicos da ética discursiva 73
Cognitivismo, universalismo e formalismo 73
Os estágios morais de Kohlberg 75
Perspectivas sociais de Kohlberg 79
Aquisição e desenvolvimento dos conceitos e das relações das pessoas
segundo R. Selman 80
Perspectiva diferenciada e subjetiva 82
Perspectiva auto-reflexiva na segunda pessoa e recíproca (7 a 12 anos
aproximadamente) 82
Perspectiva da terceira pessoa e mútua (de 10 a 15 anos
aproximadamente) 83
A psicologia organizacional: suas propostas e a questão ética 84
A razão instrumental 84
Motivação e o processo de induçâo do indivíduo na organização 85
As concepções morais universais e o desenvolvimento psicológico 88
Seqüência cognitiva - Kohlberg 89
O compromisso da psicologia aplicada à administração com a
moralidade positivista de Durkheim 90
A psicologia aplicada à administração e a Ética Discursiva 90
Resumo 93
Termos e conceitos importantes 99
Questões 103
Aplicação 104
Referências bibliográficas 105

4. Administração como Ciência Social Aplicada e as Questões
Ontológicas, Epistemológicas e Ideológicas 107
Sociedade III
Reprodução dos tipos de sociedade nas organizações 1I4
Natureza humana 1I5
Ideologia 120
Administração 121
Resumo 123
Termos e conceitos importantes 126
Questões 128
Aplicação 129
Referências bibliográficas 130

5.Psicologia: Ciência ou Bom Senso? 13I
Provérbios e Psicologia 133
As idéias e opiniões de pensadores e a Psicologia 134
Bases científicas da compreensão do comportamento humano 134
Definição e evolução da Psicologia como ciência 135
Divergências na definição do comportamento humano 135
Relação entre escolas, técnicas e métodos de comprovação
de suas hipóteses 136
Influência dos resultados de observações e estudos científicos 137
Psicologia e demais ciências 137
Ciência 138
Etapas do método científico 138
Função das teorias psicológicas 139
A psicologia como ciência e o controle do comportamento humano 141
Psicologia e planejamento do comportamento 141
Ideologia e Psicologia 142
Resumo 143
Termos e conceitos importantes 143
Questões 144
Aplicação 145
Referências bibliográficas 146

6. Teoria Psicanalítica e sua Aplicação nas Organizações 149
Freud e o método científico 151
Conceitos principais 152
Subdivisões da personalidade 153
As qualidades mentais 156
Princípio do Prazer 158
Princípio da Realidade 158
Processo primário e processo secundário 158
Instintos 159
Desejos 159
Necessidade 160
Recalque 160
Sublimação 160
Repressão 161
Pulsões de morte 161
Pulsões de vida 161
Conflito psíquico 161
Identificação 162
Identificação com o agressor 162
A teoria psicanalítica e o comportamento humano na organização:
contribuições e limitações 162
Teoria Psicanalítica na organização: a psicodinâmica do Trabalho 166
Teoria da psicopatologia do trabalho 166
Conceitos Básicos 167
Relação do indivíduo com a organização do trabalho 167
Estratégias de preservação da saúde mental 168
Relação entre organização da personalidade e organização do
trabalho 168
A psicopatologia do trabalho: conclusões básicas 168
Tipos de organização e sofrimento no trabalho 169
Estratégias defensivas 169
Vida psíquica e saúde física 169
Sofrimento mental e suas conseqüências 170
Defesas contra o sofrimento 17°
Alienação como fator de sofrimento 171
Psicodinâmica do trabalho e teoria psicanalítica 172
A epistemofilia 172
Ressonância simbólica, história singular e qualidade do trabalho 172
Condição de ressonância simbólica 173
Sublimação, reconhecimento e identidade 173
Sofrimento e motivação 174
Conseqüências da organização científica do trabalho sobre a
saúde mental 174
Sofrimento criativo luta com o operatório 175
Conseqüências do sofrimento patogênico no ambiente 175
Incidência do sofrimento patogênico sobre a produtividade 175
Sofrimento humano nas organizações: do espaço de palavra ao
espaço público 176
Espaço público como um recurso humano 176
Sofrimento humano e responsabilidade das organizações 177
Trabalho, sofrimento e sociedade 177
Considerações finais 178
Resumo 179
Termos e conceitos importantes 180
Questões 183
Aplicação 184
Referências bibliográficas 184

7. O Condicionamento do Comportamento Humano nas
Organizações 185
Origens do Behaviorismo 188
Princípios do Behaviorismo Metodológico 190
Comportamento respondente 190
Comportamento operante 191
Distinção entre comportamento respondente e comportamento
operante 191
O processo de condicionamento respondente 191
O experimento de Pavlov 192
Fatores que influenciam o condicionamento respondente 192
Condicionamento operante 193
Reforço: definição e tipos 194
Reforço e privação 194
O processo de condicionamento operante 195
Dispositivos experimentais 195
Extinção 197
Punição 197
O Behaviorismo Radical 197
Transposição do laboratório para a vida real 198
Por que um estímulo age como reforçador. 200
Fatores que interferem no resultado do condicionamento 200
Significado do reforço nas organizações 201
Generalização e discriminação de estímulo 201
O Behaviorismo e a motivação 202
A aplicação da análise do comportamento nas organizações 203
Sentimentos e emoções 204
Percepção 205
A personalidade segundo o Behaviorismo 206
Tomada de decisões e o seu controle 206
Controle das variáveis experimentais na situação organizacional 207
Behaviorismo e o comportamento humano na organização 207
O manejo dos estímulos e dos reforços 208
Condicionamento humano nas organizações 209
O lado ético do reforçamento nas organizações 210
Sistemas de recompensa nas organizações 210
Limitações do condicionamento humano 211
Resumo 213
Termos e conceitos importantes 217
Questões 219
Referências bibliográficas 220

8. Teoria de Campo e Comportamento Organizacional 221
Precursores da Teoria de Campo: Teoria Clássica da Gestalt 223
Gestalt 224
Insight 224
Isomorfismo 225
Figura-fundo 225
Conceito de aprendizagem segundo a teoria gestáltica 226
Desenvolvimento da Teoria de Campo 227
Elaboração e combinação de constructos 227
Teoria de Campo como método de análise 227
Objeto da Psicologia 228
Conceito de comportamento 228
Fenômenos psicológicos como realidades psicológicas 229
Conceitos de comportamento 230
Observação científica do comportamento 230
Comportamento como função da situação total 231
Espaço vital 231
Interação indivíduo-meio ambiente 231
Abordagem dinâmica. O indivíduo como sistema 233
Principais conceitos da Teoria de Campo. Espaço vital (life space) 233
Ambiente objetivo 234
Ambiente psicológico 234
Pessoa 234
Dimensão do espaço vital 235
Diferenciação no nível realidade-irrealidade 235
Presente psicológico. O comportamento como função do
campo presente 236
Princípio da contemporaneidade 236
Tempo em Psicologia 237
Conceitos estruturais: região 239
Conceitos dinâmicos (hodologia) 240
Conceitos que tratam da mudança no ambiente psicológico 243
Tipos de aprendizagem 243
Nível de aspiração e aprendizagem 244
Mudanças induzidas socialmente 244
Lewin e a psicologia Social 245
Pesquisa-ação 246
Dinâmica de grupo 246
Teoria de campo e comportamento organizacional 247
Resumo 250
Termos e conceitos importantes 252
Questões 254
Aplicação 254
Referências bibliográficas 256

9. A Organização como Contexto Social e o Desenvolvimento
Cognitivo 257
Desenvolvimento cognitivo 260
Período sensório-motor 260
Esquema e conceito prático 261
Características do período sensório-motor 261
Período pré-operatório ou desenvolvimento do pensamento simbólico 262
Nível operatório concreto e suas características 262
Reversibilidade 262
Operação mental 263
Nível operatório formal e suas características 263
Hereditariedade e meio ambiente 264
Background biológico do comportamento humano - hereditariedade 264
Transmissores da hereditariedade 264
Processo de maturação 265
Condições ambientais 265
Reflexos e instintos 265
A hereditariedade e as diferenças nos seres humanos 266
Jerkes e Klineberg e o estudo das condições ambientais 266
Margaret Mead e as influências culturais 266
Classes sociais e diferenças individuais 266
Determinismo hereditário 268
Meio psicológico 268
Sociedade e transmissão de padrões de comportamento 269
Cultura e desenvolvimento de características individuais 269
Percepção e cultura 269
Interação dos fatores hereditariedade e meio ambiente 270
Processo de interação entre os fatores hereditariedade e meio 271
A organização como meio social 271
Tipos de influência como meio social 271
A inteligência 272
QI 272
Contradições e dificuldades 274
Seleção de pessoal e os pressupostos dos testes psicológicos 275
Contradições e dilemas no uso dos testes psicológicos 276
Resumo 278
Termos e conceitos importantes 282
Questões 284
Aplicação 285
Referências bibliográficas 286

10. Personalidade e Falsa Consciência nas Organizações 289
Personalidade 291
Características da personalidade 292
Desenvolvimento e ajustamento da personalidade 292
Tipos ou dimensões de personalidade 294
Personalidade e organização 295
Avaliação da personalidade 297
Inventário de personalidade (entrevistas e questionários) 298
Avaliação psicológica na organização 299
Resumo 301
Termos e conceitos importantes 303
Questões 304
Aplicação 304
Referências bibliográficas 306

11. Processo Perceptivo e o Contexto Organizacional 309
Hipóteses sobre a percepção 3II
Importância do contexto dos estímulos percebidos 312
Conceito ou categoria 313
A experiência passada e a percepção presente 314
A projeção e sua influência no processo de percepção 314
Contraste e percepção 314
Ampliação do limite de atenção 315
Constância 318
Constância e distorção visual 318
Motivação e sua influência na percepção 318
Decodificação 319
Percepção social 320
Interação social e percepção social 320
Problemas da pessoa que percebe e da que é percebida 321
Interação de fatores intra e extrapessoais no processo de percepção
social 321
Processos cognitivos 324
O pensamento ou raciocínio 325
Operações mentais 326
Desenvolvimento cognitivo 326
Solução de problemas 327
Influência dos fatores individuais 328
Criatividade 328
Os processos cognitivos e o comportamento humano na organização 329
Pressões grupais e percepção 33°
Divisão do trabalho e percepção 33°
Características individuais e percepção 33°
A organização, a maturidade psíquica e o desenvolvimento mental 331
Organização como meio social e sua função 332
Mecanismos de repressão 333
Características da organização 333
Conseqüências para o indivíduo 333
Conseqüências para a organização 334
Percepção e falsificação da consciência 334
Mecanismo de facilitação 335
Condições econômicas e desenvolvimento cognitivo 336
Falsificação da percepção 336
Resumo 337
Termos e conceitos importantes 339
Aplicação 342
Questões 343
Referências bibliográficas 344

12. Motivação e a Organização 347
A motivação como problema individual 350
Comportamento motivado, comportamento não-motivado 351
Motivação e hedonismo 351
Os behavioristas e a motivação 352
Os cognitivistas e a motivação 352
Kurt Lewin 352
A abordagem de Freud 353
Freud e o inconsciente 353
Teoria Psicanalítica e Determinismo Biológico 353
Comportamento como forma de liberação de tensões 353
Comportamento direcionado 354
Teoria da Motivação Humana de Maslow 354
Hierarquia das necessidades humanas 355
Predominância das necessidades fisiológicas 355
Necessidades de segurança 355
Necessidades de afiliação e amor 356
Necessidade de estima 356
Necessidade de auto-atualização 357
Necessidades estéticas 357
Falácias da abordagem da Teoria das Necessidades Humanas de
Maslow 358
Necessidade de realização (N-achievement, Mcclelland) 359
Constelações de necessidades psicológicas 360
Necessidade psicológica predominante e integração na organização 360
Fatores higiênicos: fatores motivacionais (Herzberg) 361
Auto-realização e motivação 361
Condições higiênicas e satisfação no trabalho 362
Motivação e produtividade 362
Produtividade versus integração 362
Conformismo versus produtividade 363
Avaliação do grau de integração ou adesão ao sistema versus
produtividade 364
Sistemas de incentivos e manipulação de comportamento na
organização 364
Interação indivíduo-organização 364
Motivação e problemas emocionais 365
Problemas emocionais e autocracia 365
Graus diferentes das necessidades básicas 365
Diferença entre doença mental e problemas emocionais 366
Motivação e chefia - o papel do chefe 366
Reflexões e considerações 367
Resumo 369
Termos e conceitos importantes 370
Questões 371
Aplicação 372
Referências bibliográficas 375

13. Liderança: Processos Grupais e o Comportamento
Organizacional 377
Processos grupais e a organização 379
Dinâmica de Grupo 379
Orientações teóricas 380
Processos grupais: liderança 382
Aceitação da liderança 383
A liderança como característica de um indivíduo 384
A liderança como propriedade de um grupo 385
Poder social 388
Efeitos de liderança 389
Experimentos 390
Diferenças entre as várias formas de liderança 392
Estilo de liderança na organização 397
A liderança na organização 400
Definir liderança 401
Resumo 403
Termos e conceitos importantes 405
Aplicação 406
Questões 410
Trabalho de campo 411
Trabalho de pesquisa 412
Referências bibliográficas 412
Índice remissivo 415
 



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento