A CRÍTICA AO EU NA MODERNIDADE (EM MONTAIGNE E FREUD)

A CRÍTICA AO EU NA MODERNIDADE (EM MONTAIGNE E FREUD)


Autor: Pedro Luiz Ribeiro de Santi
Editora: Casa do Psicólogo
Ano: 2003
Nº páginas: 275
Categoria Principal: Freud

leia mais

R$87,10

até 2x de R$43,55 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

A psicanálise nasceu como discurso crítico sobre as pretensões do homem. Diante de um sujeito autodeterminado, ela pode parecer instrumento de desilusão. Mas a desilusão cura. Nessa concepção encontramos a relação entre Freud e um autor com o qual não costuma ser aproximado.

AGRADECIMENTOS 7
DEDICATÓRIA 9
PREFACIO 11
APRESENTAÇAO 17

PARTE 1 - O LUGAR DA CRÍTICA AO EU NA MODERNIDADE 25
1- Uma Definição Geral de Modernidade 26
2- Reflexão e Interioridade 35
3- O Campo de Exclusão. O Lugar da Crítica ao Eu 44
4- A Modernidade como Acabamento da Metafísica Ocidental 50
4.1- O ceticismo nas origens da Modernidade 58
5- A Crítica ao Eu Como Motor da Modernidade 61
5.1 - Rever a constituição da Modernidade 66

PARTE 2 MONTAIGNE 69
1 - Breves Referências Biográficas 70
2- Montaigne Filósofo 75
2.1- Pertinência ao Renascimento 77
2.2- O estilo dos Ensaios 83
2.3- A critica ao Homem e o ceticismo de Montaigne 89
2.4- Religião e natureza em Montaigne. A questão do ser. 97
2.5- Moral e interioridade em Montaigne 105
2.6- Montaigne e a Modernidade segundo seus comentadores 113
3. A Escrita e a Melancolia na Construção do Eu em Montaigne 116
3.1- Uma melancólica disposição do espírito 117
3.2- A introspecção e construção da interioridade 123
3.3- A crítica e a autocrítica 128
3.4- O canibal e a viagem 130
3.5 O gozo da vida 133
4- Montaigne e a Reflexão Moral dos Séculos XVI e XVII .. 138
4.1- A filosofia moral centrada no Homem 140
4.2 De Montaigne a Descartes 147
4.3- Um certo humanismo de Montaigne 156
5- A Filosofia como Modo de Vida 159
5.1- A figura de Sócrates 161
5.2- As escolas da filosofia antiga 162
5.3- As Meditações de Marco Aurélio 165
5.4- Exercícios espirituais e método 166

PARTE 3 .CRÍTICA AO EU E ÉTICA DO BEM- VIVER EM FREUD 169
1- Breves Referências Biográficas de Freud 170
2- Revolução Copernicana. A Psicanálise diante da Modernidade 176
2.1- A ironia de Freud 180
2.2- Pré, pós e também moderno 187
3- A Crítica ao Eu em Freud 190
3.1- A condição humana 191
3-2- A estranheza ao eu 202
4- A Ausência de um critério universal para a ação humana 212
4.1- Contra as visões de mundo 213
4.2- A contingência da constituição sexual 217
5- Renúncia e Tolerância 224
5.1- A renúncia aos ideais 225
5.2- A condição trágica do Homem 228
5.3- O complexo de Édipo 232
6- A Transitoriedade 235
7- A Psicanálise como Modo de Vida 242
7.1- Trabalhar e gozar. A cura como tratamento 243
7.2- Auto-exame e auto-análise 251
7.3- A dimensão ética da prática psicanalítica 253

CONCLUSAO 263
REFERÊNCIAS BIBUOGRÁFICAS 267



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento