INCONSCIENTE E RESPONSABILIDADE - PSICANÁLISE DO SÉCULO XXI

INCONSCIENTE E RESPONSABILIDADE - PSICANÁLISE DO SÉCULO XXI

Código: 9788520433904

Categoria: Lacan

Marca: Manole


Autor: Jorge Forbes

Editora: Manole

Ano: 2012 / 2ª reimpressão

Número de páginas: 200

Categoria Principal: Lacan



item indisponível0 unidades em estoque.
  Avise-me quando disponível

Não disponível

Compre com segurança

Compartilhe

[...] O inconsciente do qual vamos tratar é aquele que leva o ser falante a responsabilizar-se pela invenção de seu estilo singular de usufruir de seu corpo e de sua vida. No discurso da psicanálise difundida nos meios de comunicação, responsabilidade e inconsciente não são termos que aparecem conjugados, chegando a ser considerados excludentes. Assim, a responsabilidade estaria associada à consciência plena e onde houvesse inconsciência não poderia haver responsabilidade. Diante de um ato que cometeu - voluntária ou involuntariamente - e sobre o qual estranha a própria participação, é comum a pessoa dizer: Só se foi o meu inconsciente. No século xxi, o psicanalista que acredita no inconsciente irresponsável não trata o sintoma e não cura. É urgente considerar a responsabilidade pelo que é inconsciente, pois já não podemos mais contar com as ficções - tais como a do mito paterno - que, até o século passado, nos permitiam escapar, dizendo: Foi por causa de papai. Também a clínica psicanalítica, por essas mesmas razões, atravessa um novo momento - Trecho da Introdução

PREFÁCIO IX
INTRODUÇÃO XI
Provocações psicanalíticas XI

1. O PRINCÍPIO RSPONDSABILIDADE E O INCONSCIENTE    1

1.1 Freud não responsabiliza?                                                  6
1.2 Lacan, do acaso e da memória à repetição                    16

2. A PSICANÁLISE DO HOMEM DESBUSSOLADO                    25

2.1 Tipping points                                                                         30 
2.2 Ser humano desnaturalizado                                             33
2.3 Lacan lê Freud: uma inflexão decisiva                             35
2.4 O pressuposto do Complexo de Édipo                             37
2.5 As três alternativas edípicas: neurose, perversão ou psicose           40
2.6 Da universalidade do pai edípico à singularidade da pai-versão do sintoma      44

3. A PSICOPATOLOGIA E O FINAL DA ANÁLISE                                   49

3.1 Como entendemos a psicopatologia                                49
3.2 A psicopatologia na história da psicanálise                    52
3.3  Primeira abordagem                53                             
3.4 Contraponto                                                                       54
3.5 Voltando à primeira abordagem: uma clínica contratransferencial           56
3.6 Outra abordagem: a primeira clínica lacaniana                        58
3.7 Consequências clínicas                                                         60
3.8 A segunda clínica lacaniana                                                66
3.9 Algumas consequências                                                       72
3.10 Final de análise                                                                          79

4. FELICIDADE NÃO É BEM QUE SE MEREÇA                             85

5. A PSICANÁLISE EM SUA CLÍNICA                                             93

6. A PSICANÁLISE ALÉM DE SUA CLÍNICA                                  103
6.1 Medicina                                 104
6.2 Direito: família e responsabilidade                                                  113
6.3 A escola autoritária, igualitária e a do futuro                122
6.4 A empresa                                                                       128
6.5 A sociedade                                                            132

7. RESPONSABILIDADE: ESTAR DESABONADO DO INCONSCIENTE 141

7.1 A responsabilidade psicanalítica inscrita no mundo    146
7.2 A responsabilidade pela letra                                             150
7.3 Desabonado do inconsciente                                             154

CONCLUSÃO                                                                                       157

Consequências                                                                                   157
Considerações finais                                                                         160
Conclusão                                                                                            166

REFERÊNCIAS                                                                                      169
ÍNDICE ONOMÁSTICO                                                                      181
ÍNDICE REMISSIVO                                                                            185



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento