A ECONOMIA DO GOZO

A ECONOMIA DO GOZO

Código: 9788576171881

Categorias: Lacan / Lacan

Marca: Garamond


Autor: Paulo Becker
Editora: Garamond
Ano: 2010
Número de páginas: 104
Categoria Principal: Lacan

leia mais

R$31,00

até 6x de R$5,72

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

A história das ligações que a psicanálise manteve com outros discursos que tentou interpretar e pelos quais foi interpretada - sobretudo o marxismo - constitui um repertório de perigosos mal-entendidos. Este livro busca uma abordagem original da questão, baseada na compreensão do capitalismo como uma economia de gozo e na articulação do conceito lacaniano plus de jouir (mais-de-gozar) com a noção de mais-valia dos textos marxistas. Paulo Becker nos propõe o pensar como um ato inaugural, como práxis que se opõe à metafísica do ser e à imediaticidade do mercado. Um pensar materialista em que Marx, Freud e Lacan são enlaçados em um ponto de reflexão que redefine fronteiras que até há pouco sequer se reconheciam. Neste livro, são prospectadas relações profundas entre a economia do capital e a psicanálise. Um viés que não tem nada a ver com os ideais humanistas que pregam, no campo da cultura, uma redenção revolucionária sem política. Partindo do lugar instaurado por Lacan, abre-se um percurso no qual se pode formular, conforme o título, uma economia de gozo. Que desdobramentos políticos podem se esboçar a partir daí? Lembremos que Freud, Marx e Lacan são pensadores que fazem do sofrimento das gentes um enigma diante do qual uma prática se constrói. Uma ação que, por ser de intervenção no mundo, é política. Segundo Becker, a psicanálise é uma ética - supõe uma ação contra a miséria neurótica, como dizia Freud. Essa ação é o que presentifica a psicanálise no mundo, enquanto o mundo se sustenta no laço social chamado capital. Toda a argumentação, aqui, se constrói como uma espécie de comentário (no sentido medieval do termo, quando o saber se faz como comentário) que desdobra o texto original e dá ao leitor ferramentas que lhe permitem retroagir sobre o primeiro, ampliando-o.

Freud, Marx e Lacan 9

Coisa e objeto, mercadoria e valor
Valor de troca, valor de uso e valor propriamente dito 15
A essência não vai sem a aparência 19
Ideologia falsa ou verdadeira 21
O mercado do saber 23

A função do equivalente
Ciência material e natural 33
Questão preliminar à produção de um novo feminino 35
A função do espelho 39
O falo é o equivalente geral 42

O fetichismo da mercadoria 55

Capital e trabalho são a mesma coisa
O trabalho desejo como mercadoria 61
Mais-valia e mais-de-gozar. 63
Retorno triunfal do valor de uso 67

Trabalho vivo e trabalho morto
O que se inscreve é antes o morto do que a morte 77

A armadilha do tempo
Quantidade de tempo 85
A mais-valia é absoluta e relativa ao tempo 91
Ideologia da psicanálise 93

Notas 99



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento