A PSICANÁLISE E O FEMININO - UM HORIZONTE DA MODERNIDADE

A PSICANÁLISE E O FEMININO - UM HORIZONTE DA MODERNIDADE

Código: 9788520005828

Categorias: Lacan / Lacan


Autor: REGINA NERI
Editora: CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
Ano: 2005
Coleção: SUJEITO E HISTORIA
Número de páginas: 306
Categoria Principal: Lacan

leia mais

item indisponível0 unidades em estoque.
  Avise-me quando disponível

Não disponível

Compre com segurança

Compartilhe

Mais um título da coleção Sujeito e História, coordenada por Joel Birman e que teve grande aceitação em universidades e entre psicanalistas. Neste livro, Regina Alice retorna a questão levantada por Freud no final do século XIX - o que quer a mulher? - e pretende destacar algo inédito na história do pensamento: um novo discurso, a psicanálise, surge enunciado por uma voz emergente, a do feminino, subvertendo a ordem da razão.

INTRODUÇÃO 11


CAPÍTULO l

A crise do sujeito da razão, solo de surgimento da psicanálise 17

1. DA INVENÇÃO DA RAZÃO À CRISE DA RAZÃO 19

2. ROMANTISMO ALEMÃO: STURM UND DRANG VERSUS AUFKLÂRUNG 30

3. ROMANTISMO ALEMÃO E GENEALOGIA NIETZSCHIANA: PLANO DE PENSABILIDADE DO DISCURSO PSICANALÍTICO 37

4. A MODERNIDADE VIENENSE: ENTRE A FALÊNCIA DO EU E A EXALTAÇÃO DO EU DA EMOÇÃO CRIADORA 42

5. FREUD: ENTRE O ILUMINISMO E A ESTÉTICA 48


CAPÍTULO II

Modernidade: feminização da cultura. O encontro da psicanálise com o feminino 59

1. CRISE DO MASCULINO - PARADIGMA DO SUJEITO UNIVERSAL METAFÍSICO 67

1.1. MODERNIDADE VIENENSE: A CRISE DE IDENTIDADE DO HOMEM MODERNO 67

2. A MODERNIDADE SE CONJUGA NO FEMININO 72

2.1. SIM, A VIDA É UMA MULHER: O FEMININO COMO PARADIGMA DO QUESTIONAMENTO DA VERDADE METAFÍSICA 82

2.2. O ENCONTRO HISTÓRICO DA PSICANÁLISE COM O FEMININO 90

2.3. O FEMININO: SUJEITO DE ENUNCIAÇÃO E CORPO DA VERDADE 00 DISCURSO PSICANALÍTICO 95


CAPÍTULO III

A histeria em sua dimensão de conflito criador 103

1. A CRISE HISTÉRICA NO ESPAÇO PSICANALÍTICO: ANNA O. OU DO RESGATE DO FEMININO PRODUZINDO UM SABER SOBRE O INCONSCIENTE 709

1.1. A PORTA DAS MÃES 119

2. A CRISE HISTÉRICA NO ESPAÇO CULTURAL: A HISTERIA SE CONVERTE EM ARS ERÓTICA 127

2.1. A ESTESIA PULSIONAL COMO ESTÉTICA 135

3. A CRISE HISTÉRICA NO ESPAÇO POLÍTICO: O FEMINISMO COMO PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DA MULHER 139


CAPÍTULO IV

A histeria, bússola antimetafísica da psicanálise 147

1. O CORPO ERÓGENO DA HISTERIA 149

1.1. PROJETO PARA UMA PSICOLOGIA CIENTÍFICA: O PSIQUISMO COMO APARELHO DE PRAZER- DESPRAZER 151

2. A PULSÃO COMO UM CAMPO DE FORÇA. TRABALHO E AÇÃO 155

3. DO SUJEITO DA REPRESENTAÇÃO INCONSCIENTE AO SUJEITO DA INTENSIDADE 160


CAPÍTULO V

A sexualidade feminina e seus impasses 171

1. A TEORIA FREUDIANA. TRÊS ENSAIOS: SEXUALIDADE PERVERSA POLIMORFA/MONISMO SEXUAL 173

1.1. A VIRADA DOS ANOS 20: MONISMO FÁLICO. O FEMININO COMO TORNAR-SE MULHER 181

1.2. IMPASSE DE SUBJETIVAÇÂO: MATERNIDADE/SUBSUJEITO FÁLICO-INVEJOSO 188

2. A TEORIA DE LACAN: DO FEMININO EM CONVULSÃO AO PRIMADO DO FALO 193

2.1. MAIS, AINDA: A MULHER NÃO EXISTE. UM GOZO PARA ALÉM DO FÁLICO? 204

2.2. O IMPASSE DE SUBJETIVAÇÃO QUOAD MATREM/SUBSUJEITO FÁLICO-FETICHE 211

3. DO IMPASSE DO FEMININO AO PASSE DA FEMINILIDADE 216


CAPÍTULO VI

Clarice e Duras: a estética como subversão dos discursos de verdade sobre a mulher 223

1. DO PARS DESTRUENS SER MULHER É SER MÃE AO PARS CONSTRUENS O FEMININO COMO CRIAÇÃO 225

2. A OBRA DE CLARICE E DURAS. DISCURSO ESTÉTICO/DISCURSO SOBRE A VERDADE DA MULHER 229

3. O DESLUMBRAMENTO DE LOL. V. STEIN. O GOZO FEMININO COMO ESCRITA 240

4. A PAIXÃO SEGUNDO GH. O DIVINO É O REAL 249

5. ADÉLIA PRADO. A LINHAGEM DAS MÃES 252


CONCLUSÃO - A PSICANÁLISE E AS NOVAS FORMAS DE SUBJETIVAÇÃO NA CONTEMPORANEIDADE 265


NOTAS 275


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 297



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento