ACESSO À LIDA DE FI-MENINA - SEMINÁRIO 1980

ACESSO À LIDA DE FI-MENINA - SEMINÁRIO 1980

Código: 9788587727213 (CO.)

Categorias: Lacan / Lacan

Marca: Novamente


Autor: M.D. MAGNO
Editora: NOVAMENTE
Ano: 2008
Número de páginas: 316
Categoria Principal: Lacan

leia mais

R$43,90

até 2x de R$21,95 sem juros

1 unidade em estoque.

Em estoque

Compre com segurança

Compartilhe

Acesso à lida de fi-menina, modo de enunciar a questão da sexualidade feminina que indica o trabalho clínico permanente de desfiguração dos saberes que aspiram à definição e à normatização da sexualidade e suas maneiras de expressão. Ao mesmo tempo, indica a lida da psicanálise, desde Freud, no sentido de encontrar acesso adequado à condição do ser falante como sexual, segundo a chave lacaniana que orienta o autor neste livro que transcreve seu Seminário de 1980. Uma proposição lógica conduz o leitor: há não-marcação originária para o falante, o que significa reafirmar a idéia freudiana de não haver marca distintiva da diferença sexual no Inconsciente. Como a teoria lacaniana do significante situara o falo como significante da diferença sexual, enquanto elemento terceiro entre ¿homem¿ e ¿mulher¿, exploram-se aqui as possibilidades de entendimento desse terceiro lugar como puro espelho que inscreve indiferenciadamente quaisquer configurações sexuais que se coloquem para cada um nas vicissitudes de sua estória, incluídas as sobredeterminações anatômicas tão imaginariamente pregnantes. Dito de outro modo, o sexo do falante é sempre Outro. E isso em pelo menos dois sentidos: 1) nada obriga reconhecimento de normalidade no processo de identificação simbólica de cada um (donde a proposição lacaniana segundo a qual nada faz com que necessariamente um homem reconheça uma mulher); 2) toda diferenciação (sexual) é distinção ideológica dos discursos (biológico, antropológico, médico, jurídico, social, pedagógico, etc.) que querem preencher o lugar vazio da indiferença sexual inconsciente. Se a sexualidade do falante se estrutura em regime de pura alteridade, faz-se necessário repensar o que seja a relação sexual e o que é o outro-sexo para cada um. Donde, seguindo o mestre Jacques Lacan, a pertinência de abordar a questão da ¿sexualidade feminina¿ ou simplesmente d¿A Mulher. O livro traz ainda um trabalho alentado sobre o alcoolismo e sua difícil abordagem clínica. A partir da literatura, tomando como exemplo maior o Quincas Berro Dágua, de Jorge Amado, articulam-se perguntas-chaves para a análise da questão: a quem o bebedor dá de beber? Quem dá de beber ao bebedor? Quem se quer esquecido na bebida? Indagações propedêuticas que orientam o problema do alcoolismo como sendo da ordem de uma oscilação aprisionante do sintoma, cindido na dupla face de um obsessivo Pai Bedel em trânsito para um histérico Pai Herói.

1. SUPER-HOMEM, A MULHER

Comentário sobre a Escola de Lacan e sua dissolução - Sintagma Ser-Humano nas ciências - Falo é instância que subverte necessidade e demanda - Esquema de inscrição sexual no animal (relação especular) - Sexuação no falante tem estrutura de espelho.9


2. OS ROUXINÓIS E AS FLORES

Introdução à questão da sexualidade feminina - Regime do gozo fálico -Apresentação do esquema das fôrmulas quânticas da sexuação - Lógica do não-todo.35


3. PARA NÃO DIZER QUE SÓ FALEI DE FLORES

Não-relação entre verdade e saber - Regime significante de homem e mulher - Estatuto do gozo feminino - Esclarecimentos sobre a anatomia é o destino.55


4. MENINA DA RUA

Incompatibilidade entre discurso psicanalítico e pedagógico - Dissimetria da castração - Esclarecimentos sobre a fórmula da fantasia ($?a) -Alteridade significante e sujeito - Entendimento da constituição do sujeito a partir do espelho - Sexo do analista. 73


5. PAPAI DOSSEL

Comparação entre estrutura mínima de parentesco de Lévi-Strauss e estrutura edipiana, - Crítica à função antropológica do avunculado - Universalidade da estrutura edipiana não é da ordem do parentesco.
93


6. TARZAN DO MAU CACO

Édipo como teorema fundamental da castração - Para a psicanálise há distinção entre estrutura simbôlica e pensamento classificatório - Relação entre impossível e proibido e suas formas de comparecimento. 111


7. AOS CÃES E AOS PORCOS

Questões sobre iniciação e farsa em psicanálise - O que é a Causa Freudiana e a sustentação da psicanálise.127


8. AMÉFRICA LADINA: INTRODUÇÃO A UMA ABERTURA

Razões da não participação do Colégio Freudiano do Rio de Janeiro no Congresso de Caracas - Comentário sobre Macunaíma a partir da função paterna - Conceito de zero em Frege e a construção do Nome do Pai - Améríca-Africana como sintoma brasileiro.145


9. R-AMORTEAVIDA

Aspectos simbólicos do Nome do Pai - Comentário sobre O Anti-Édipo, de Deleuze Guattari - Função do Nome do Pai a partir das fórmulas quânticas da sexuação-P . Simbólico é única suposição de heterossexualidade.167


10.T-SÃO: A VIDA, A VIDA

Binômio Lei/Desejo - Função do Pai Ideal a partir de Estudos sobre o Édipo, de Moustapha Safouan - Inscrição de inibição, sintoma e angústia no nó borromeano -Proposição do Pai Ideal como emergência do Imaginário no Simbólico - Relação entre Pai Simbólico e Amor. 179


11.O PORRE E O PORRE DO QUINCAS BERRO DÁGUA: AS FILHAS DE LOT

Alcoolismo e as possibilidades de sua clínica - Comentário sobre o texto Ensaio para uma clínica psicanalítica: o alcoólico, da Scilicet - Função do Pai Ideal no alcoolismo - Proposição do alcoolismo como requisição histérica. 201


12. O PORRE E O PORRE DO QUINCAS BERRO DÁGUA: BRAVOS EUNUCOS E BACANTES FRIAS

Disjunção entre produção e verdade no Discurso da Histérica - Apresentação da engrenagem dos Quatro Discursos - Configurações do Pai Ideal: Pai Bedel e Pai Herói - Questionamento das relações do alcoolismo com a perversão - Histericização da neurose obsessiva caracteriza a estrutura neurôtica do alcoolismo.221


13.0 PORRE E O PORRE DO QUINCAS BERRO DÁGUA:...SE ...ENTÃO... SE

Exame da diferença entre ato poético e psicose - Ato poético é dissolução do Nome do Pai em sua função significante - No alcoolismo há clivagem do Pai Ideal em Pai Bedel e Pai Herói - Dois movimentos de atingimento do Outro: Dionísio e Apolo. 245


14.0 PORRE E O PORRE DO QUINCAS BERRO DÁGUA: O PARA ISSO PERDIDO

Na neurose há inadimplência do Nome do Pai - Comparecimento do Pai Ideal na; formações religiosas e no alcoolismo - Investigação da perversão no alcoolismo - Oscilação entre Pai Bedel e Pai Herói no alcoolismo não promove relação com alteridade. 265

15. SE É QUE SÔ É ISSO

Esquema de constituição do sexo anatômico no animal - Esquema de constituição simbólica do ser falante - Esquema comparativo de constituição sexual no homem e no animal - Desejo e sô-depois na constituição imaginária de homem e mulher- Bissexualidade originária em Freud decorre da impossibilidade da relação sexual - Reconsideração da sexualidade feminina - O ser falante está condenado à heterossexualidade - Crítica à homossexualização da cultura - Questão política da sexualidade: diferocracia. 281


ENSINO DE MD MAGNO 309



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento