RAZÃO DE UM PERCURSO

RAZÃO DE UM PERCURSO

Código: 9788587727671 (CO.)

Marca: Novamente


Autor: MD Magno - Nelma Medeiros
Editora: NOVAMENTE
Ano: 2015
Nº de Páginas: 282
Categoria Principal: Lacan

leia mais

item indisponível0 unidades em estoque.
  Avise-me quando disponível

Não disponível

Compre com segurança

Compartilhe

Este livro publica as conferências que MD Magno proferiu na Universidade Candido Mendes com o objetivo de apresentar a Nova Psicanálise a um público maior. Nele, o leitor tem a oportunidade de apreender, de modo acessível, o contexto e a emergência dos conceitos que montaram a reformatação da psicanálise que o autor vem desenvolvendo desde os anos 1980. A leitura fluida e clara permite acompanhar a busca por denominadores comuns para tornar a psicanálise mais simples, mais compacta, mais manejável e compatível com os movimentos do século 21.

Além disso, o livro publica os resultados da pesquisa de autoria de Nelma Medeiros que combina o ambiente cultural do Brasil a partir dos anos 1920 com dados biográficos de MD Magno, suas influências intelectuais, sua formação artística, seu encontro com Lacan, e traça o trajeto que vai da introdução da psicanálise no Brasil à sua transformação na psicanálise do Brasil.

SUMÁRIO

Prefácio 01

Percurso e Recursos de MDMagno
Nelma Medeiros

1 a 2. Os primeiros anos de formação, de Campos dos Goytacazes à Escola
Preparatória de Cadetes em Fortaleza - Efeitos da conexão entre a literatura
infante-juvenil de Monteiro Lobato e a descoberta de Sigmund Freud. 3. A
referência a Villa-Lobos, articulada à leitura de Alfred N. Whitehead - A razãode
Bertrand Russell e o entendimento psicanalítico do surracionalismo de
GastonBachelard. 4 a 11. O encontro com Anisio Teixeira - Diálogos com
o pragmatismo e a comunicação: John Dewey, Richard Rorty, Ralph Waldo
Emerson e Marshall McLuhan. A polivalência e a politecnia das atividades
praticadasem teatro, música, artes plásticas, literatura, artes gráficas e editoração.
12 a 16. O experimentalismo pós-moderno de Aboque/ Abaque - Primeiros
efeitos da leitura de Lacan: o inconsciente como espelho (via João GuimarãesRosa)
e a obra de arte como função analítica (via Marcel Duchamp)
-Análise, trabalho, ensino e estudo em Paris (1977-1978).17 a 20. Consensos
c dissensos na transmissão lacaniana no Brasil e seus efeitos internacionais.
21 a 24.A concepção da heterofagia (via Oswald de Andrade) como possibilidade
de uma Psicanálise do Brasil. 25. A fundação da Causa Freudiana do
Brasil: de Brasília (1984) a São Paulo (1988), uma aventura (de)lenda. 26 a
28. Da heterofagia à proposição do Maneiro como terceiro lugar em relação
ao Barroco e ao Clássico: a sexualidade concebida como estílística. 29. Da
heterofagia ao mazombismo (via Anísio Teixeira): neurobrás ou a análise do
sintoma Brasil - Lacan é um pensador terminal. 30. Do Colégio Freudiano
à UniverCidadeDeDeus. 31 a 32. Breves indicações conceituais da Nova
Psicanálise à luz da virada gnoseológica do século XXI.

ZIG/JAC: MAG
MDMagno
1. A Psicanálise não é mais Aquela?
Considerações iniciais do percurso do autor no mapa da psicanálise -
Elementos do mapa freudiano: complexo de Édipo, a sexualidade como princípio
lógico e funcional do psiquismo e a pulsão de morte - Elementos do
mapa lacaniano: a aproximação com o estruturalismo, a vontade matêmica
e a apropriação de raciocínios topo lógicos - A desconfiguração sintomática
contemporânea pela tecnologia como efeito de ana-lysis - O momento
contemporâneo: passar a limpo a psicanálise e procurar denominadores
comuns para tomá-Ia mais simples.
147

2. Conceituação
Toda produção mental é ficção ou fixão - Concepção da pulsão de morte
como Haver desejo de não-Haver no sentido de desejo de impossível- Haver
e Ser e sua distinção via Bruit Secret (Ruído Secreto) de Marcel Duchamp
- Os conceitos fundamentais da psicanálise (Lacan) e a pulsão como único
conceito fundamental (Magno) - Nossa mente é estruturada como um
espelho - A razão do recai que: a quebra de simetria originária e outras modalidades
de recalque (Primário e Secundário) - A Artificialidade do Haver: artificios
espontâneos e artificios industriais - Por que retomo de Freud - Três
vias possíveis de entendimento da sintomática do mundo, desde o século XX:
morfose estacionária, morfose regressiva ou morfose progressiva.
163

3. Mais conceituação
Paradigma da psicanálise é sexual e seu estatuto é místico - Ética da psicanálise é a da Identidade e da Indiferença - Da ética da psicanálise decorre uma
Diferocracia como governo da Diferença - O campo de operação da psicanálise: proposição de uma Gnômica - A psicanálise é o Pensamento Perplexo - Conhecimento absoluto de Haver.
181

4. lAR / 2AR / OR: Etologia e Neo-Etologia
Quebra de simetria e formações do Haver - Primário: formações do vivo
comoautossoma e etossoma - Princípio de Catoptria explica o funcionamento
das Idioformações - Emergência de Secundário por competência de Revirão
- Secundário é competência de articulação linguageira e de produção cultural
- Funções reca1cantes do Secundário articuladas às do Primário produzem
neo-etologia- Pressão recalcante produz racismo e xenofobia.
197

5. O Creodo Antrópico
Apresentação do Creodo Antrópico como fundamentação sintomal da sequência
histórica da nossa espécie e da Pessoa - Tópica Primário / Secundário
I Originário é a ordenação sintomática do Creodo - Primeiro Império ou
ImpériodAmãe é momento inaugural da espécie como produtora de próteses
- SegundoImpério ou Império dOpai é passagem da referência do Primário
aoSecundário- Terceiro Império ou Império dOfilho: Secundário é hegemônicocomo
ordem cultural- Vicissitudes históricas da fundação e desenvolvimentodo
Terceiro Império no Ocidente - Quarto Império ou Império dOespírito:
surgimento de referência ao Originário a partir das produções secundárias
e protéticas - Pensamento de Freud foi situado no Segundo Império e o de
Lacanno Terceiro Império - Projeto progressivo da Nova Psicanálise - Quinto
Império Império do Amém e a referência hegemônica ao Originário.
215

6. Subsequências do Creodo Antrópico
Movimentodo Originário é exercício perene de libertação - Análise é substituiçãopermanente
de recalque por juízo foraclusivo - Paradigma de pensamentoda
psicanálise é sexual- Polimorfia da sexualidade na criança - Édipo e
castraçãocomo modelos de entendimento da sexualidade em Freud - Formulaçõeslógicas
de Lacan sobre a sexualidade - Na nova psicanálise o conceito
de Revirão formula a sexualidade e suas expressões - Sexo da morte, sexo
resistente,sexo consistente e sexo resistente - Correlação entre sexualidade e
creodoantrópico - O sexo de cada um é singular.
237

7. Horno Zapiens
Surgimento do homo zapiens no Quarto Império - Protética possibilitou esfacelamento
e reagrupamento das funções informativas - ANovaMente é a teoria
que descreve a nova posição de Quarto Império - Pessoa é polo aglutinador
de formações primárias, secundárias e originária - Pessoas são polares, com
focos e franjas (estas infinitamente longas) em regime permanente de transa
de formações - Três formulações NovaMente para o século: 1) morfologia ou
teoria das formações; 2) estatuto místico da psicanálise e a ética do anti-narciso;
3) teoria do conhecimento (gnômica) e teoria política (diferocracia).
257

Ensino de MD Magno
277



RECEBA NOSSAS OFERTAS
E LANÇAMENTOS

Forma de pagamento

Forma de pagamento